segunda-feira, junho 23

Não sei do que se trata

Súbitos escritos no silêncio
dos teus olhos estão os meus
poemas. Súbitos arrepios
que percorrem feito ondas
estes versos, súbitas quimeras
da tua chama fria e oculta.

São densos estes pântanos
em que te pões, são densos
os espaços entre nós, tudo
fantasio enquanto não vens.
São densos os meus sonhos
mas foram leves e foram lentos

meus beijos na tua pele macia.

11 de maio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

10:20