quarta-feira, dezembro 28

Onde estamos?

Acordamos quando dormimos,
E se sonhamos, onde estamos?

Como viemos?
Se não sabemos onde vamos.
Em vão, que buscamos?

Somos o que nunca seremos
E maldizemos o que deixamos.

Mas nesse jogo irrequieto e estranho
Existe muito além do que precisamos:
Pode-se sonhar livre, sem medidas
E sempre crer que sagrada é a vida
Quando desmedidamente amamos!

2 comentários:

10:20