quinta-feira, novembro 10

Dos desencontros ou qualquer coisa sobre a sorte ou ainda, A Cartomante

Mulher nenhuma atravessando a rua
Senão essa dos olhos esvaziados e
criança pálida no braço.
Ela é todo mundo que vem em minha direção
Ela é todo mundo que poderia estar ali
E suas palavras, bem menos que sua presença
ou um eclipse solar ou o voo de uma borboleta,
importam.
Único problema sendo o que fazer agora
Com todas essas ruas
Com todo esse resto de tempo sem forma
E perguntas para as quais já sei a resposta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

10:20